Uniube Uberlândia reforça a oferta na área de TI e cria um ecossistema de tecnologia

07 de junho de 21
1 / 1

Texto por: Prelo Comunicação


Um relatório da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) demonstrou que a área de Tecnologia da Informação (TI) demandará cerca de 420 mil profissionais até 2024. A estimativa confronta o baixo número de formação de mão de obra anual e, de acordo com a Brasscom, alerta para o risco de um apagão de profissionais qualificados para ocupar os postos vagos, pois apenas 46 mil pessoas se formam por ano   no Ensino Superior com o perfil necessário para atender a essas vagas. 


Atualmente, Uberlândia é um polo de tecnologia, abrigando cerca de 100 empresas do ramo, e a falta de mão de obra especializada é reflexo desse déficit. Assim, "é fundamental ter mais estudantes nas graduações na área de computação", explica o coordenador do departamento de Tecnologia da Informação da Uniube Uberlândia, Stefano Vita. 


A Uniube Uberlândia criou um ecossistema de tecnologia no Campus Via Centro contemplando cinco cursos de graduação: Sistemas de Informação, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Computação e Engenharia Elétrica. Todos os cursos contam com alta carga horária em disciplinas voltadas para a programação; oferta contínua em projetos de iniciação científica nas mais diversas áreas; grande número de disciplinas práticas em laboratórios específicos e parcerias com empresas para certificações, estágios e empregos, entre elas, Acert, Abramti, Cisco, Oracle, Huawei, Sankhya. 


O ecossistema de TI da Uniube atuará de forma integrada e com projetos multidisciplinares, como Fábrica de Software, Maratona de Programação e incubadora Unitecne. No projeto de extensão Fábrica de Software, os alunos desenvolvem softwares, aplicativos ou automação de processos para resolver problemas em diversas áreas: saúde, educação, empresarial, industrial, hospitalar, pessoal etc. Ou seja, incorporar a Tecnologia da Informação para solucionar problemas da sociedade em geral. "Outro ponto de motivação importante para participação dos alunos é a oportunidade de trabalhar em um projeto real e colocá-lo em prática (implantação). Assim, os estudantes irão ter um crescimento profissional, curricular e de conhecimento dentro da Universidade e conseguir produzir tecnologia", afirma Vita. 


O projeto funciona como uma empresa de software, na qual os alunos participantes são os desenvolvedores, analistas de sistemas, testadores e arquitetos de softwares e os professores-orientadores são os gerentes de projetos. Um dos integrantes é Marcio Salmazo Ramos, acadêmico de Engenharia da Computação. Para ele, além da satisfação de poder atender a comunidade com soluções simples para problemas específicos e atuais, é muito importante também pôr em prática os conteúdos ministrados durante o curso. "Ingressei na Uniube por meio de transferência de uma instituição estadual, por um certo grau de insatisfação de minha parte. Entre as opções que tive, a Uniube foi a instituição particular que tinha o maior destaque em termos de qualidade de ensino e visibilidade do mercado, prezando uma boa relação entre alunos e professores", diz Ramos.  


Para fomentar o empreendedorismo na comunidade acadêmica, a Universidade oferece a Unitecne, uma incubadora de empresas que hoje já conta com mais de 30 alunos e docentes para desenvolvimento de projetos, como um sistema de reconhecimento facial para o comércio e um sistema de acesso remoto para comando de automação de economia de energia. A Unitecne também realiza diversas palestras, cursos, minicursos e workshops e promove encontros para que o empreendedorismo e a inovação sejam cada vez mais difundidos no ecossistema.  


O professor Stefano Vita ressalta também a Maratona de Programação, em que os professores do curso de Engenharia de Computação ministram cursos rápidos de programação de computadores para a comunidade em geral e são realizadas competições de programação de computadores entre alunos. Duas iniciativas deverão compor a relação de projetos dos cursos de tecnologia da Uniube Uberlândia no segundo semestre: a Escola de Tecnologia, onde serão ofertados cursos de programação de computadores, Internet das Coisas, Robótica, Excel, entre outros, e um projeto ligado a desenvolvimento de projetos em Robótica, ambos voltados para a comunidade em geral.