Uniube sedia workshop para discutir desafios da creditação da extensão universitária

12 de julho de 19
1 / 6
2 / 6
3 / 6
4 / 6
5 / 6
6 / 6

A Universidade de Uberaba (Uniube) realizou, na última quarta-feira (10), o 1º Workshop em Extensão Universitária, com o intuito de divulgar e discutir a creditação da extensão no Ensino Superior. O evento contou com a presença de professores e gestores da Uniube, além de representantes da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu) e Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM). O workshop aconteceu no anfiteatro da Biblioteca Central, no Campus Aeroporto.


Na pauta, temas como a apresentação das diretrizes para a extensão na Educação Superior e os fundamentos da creditação da extensão nos currículos de graduação. “Esse workshop foi um pontapé inicial das discussões. A maioria das instituições está nesse processo de discussão e é importante, porque o primeiro passo da creditação da extensão é que a universidade tenha a identidade extensionista muito bem clara. Agora, é preciso, de fato, que todos os cursos comecem a dialogar para a implementação, porque implementar 10% de extensão nos cursos como uma forma de adorno da matriz a gente sabe que foge da pretensão das diretrizes; então, vejo que é um evento inicial que, provavelmente, vai precisar ter mais edições, acredito que uma por semestre, até se concretizar em 2021”, destacou o Pró-Reitor de Extensão da UFTM, Thiago Corrêa.


A coordenadora da Extensão da Uniube e organizadora do evento, professora Maria Theresa Cerávolo Laguna, ressaltou a importância do workshop e do diálogo com outras Instituições de Ensino Superior. “Nós conseguimos trazer o que está sendo discutido com esse processo de creditação da extensão para começar o debate dentro da universidade. As pessoas de fora trouxeram muitas experiências e isso vai fortalecer o nosso trabalho para a gente conseguir direcionar o que vai fazer. A extensão é uma via de mão dupla, onde a gente tem que pensar no que a sociedade demanda, o que nós vamos produzir, o que nós vamos retornar, a reflexão inicial da preparação até a realização da ação, o retorno disso. Isso vai ser trabalhado e o workshop foi um pontapé inicial para o esse trabalho”.


Para o coordenador de Pesquisa e Extensão da Fazu, Luan Odorizzi, o workshop trouxe novidades. “Temas que estão sendo discutidos na atualidade dentro da extensão. Dentro de um aspecto educacional, eu acredito que é muito válido, devido a essas interações, a essa troca de informações entre instituições e que permitem que a gente chegue em um objetivo em comum e que muitas dessas ideias possam ser compartilhadas e, até mesmo, executadas”, disse.


O Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão, André Luís Teixeira Fernandes, avaliou positivamente o workshop. “A gente conseguiu trazer as principais Instituições de Ensino de Uberaba para que cada uma falasse das suas experiências, principalmente, focada em atender à nova legislação da extensão, que até 2021 todo mundo tem que cumprir e colocar 10% de toda a carga horária dos cursos como atividade de extensão, sejam ações, projetos ou programas. Algumas instituições estão um pouco mais avançadas, então, é importante ouvir o que cada um está fazendo e pensando em fazer, para que todos juntos consigam encontrar uma solução mais específica. É o primeiro dos debates; acho que muitos virão”, finalizou.