Uniube é palco de comemoração do Cinquentenário da Fisioterapia

30 de setembro de 19
1 / 9
2 / 9
3 / 9
4 / 9
5 / 9
6 / 9
7 / 9
8 / 9
9 / 9

A Universidade de Uberaba (Uniube) em parceria com o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito 4) realizaram, em setembro, no Campus Aeroporto, uma atividade em comemoração ao Cinquentenário da Fisioterapia, com a entrega de comendas e palestra de diagnóstico por imagem. O evento reuniu professores, alunos e convidados.


Na ocasião, estiveram presentes o professor Luís Fernando de Faria, que também é delegado regional do Crefito 4, representando o presidente do Conselho; a professora da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e coordenadora do Programa de Pós-graduação em Fisioterapia da UFTM/UFU, Luciane Fernanda Rodrigues Martinho Fernandes; o gestor do curso de Fisioterapia da Uniube, professor André Jerônimo; e o professor da UFTM, Fabrízio Antônio Gomide Cardoso.


“A proposta do evento é a comemoração à regulamentação das profissões de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, que, este ano, está comemorando os 50 anos. Esse foi o objetivo central. Depois, a entrega de Comendas a três pessoas. Foi feita uma pesquisa pública direcionada a todos os fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, registrados no Conselho, onde chegamos a três nomes da região: o professor André Jerônimo, o doutor Fabrízio Cardoso e a professora Luciana Fernandes”, comentou o professor Luís Fernando, também delegado regional do Crefito 4.


Para o professor André Jerônimo, a escolha do nome dele para ser homenageado foi uma surpresa. “Principalmente porque teve uma votação dos nossos pares de região. É uma emoção muito grande. Poder fazer parte dessa trajetória da Fisioterapia e o reconhecimento, para mim, é muito gratificante”, disse.


Segundo Jerônimo, a Fisioterapia é uma profissão relativamente jovem comparada às demais. “Hoje, nós conseguimos um espaço e uma valorização quanto ao mercado de trabalho, quanto à valorização do atendimento ao paciente e em todas as atenções, quanto em nível primário, dos pacientes e secundário do hospital. A Fisioterapia tem um leque de atuação e é benéfica ao paciente. Essa comemoração representa muito”, comentou.


A programação do evento também contou com a palestra “Exames de Imagem: solicitação e interpretação”, ministrada pelo professor Fábio Luiz Mendonça Martins, membro de Câmaras Técnicas do Conselho e Membros do Departamento de Fiscalização da Autarquia (DEFIS). “A palestra visa dar informações gerais, dicas e práticas de como a Fisioterapia deve solicitar e interpretar os exames de imagem. Conversamos sobre o diagnóstico por imagens e o fisioterapeuta, analisando os exames complementares como radiografia e ressonância magnética”, explicou.


Na opinião do palestrante, a tecnologia é uma grande aliada e os exames de imagem, hoje, complementam a avaliação do fisioterapeuta. “Durante muito tempo, a gente ficou meio alheio. Era mais voltado para a área da Medicina, ou seja, o médico que solicitava e analisava os exames por imagem. Hoje, esses exames, seja radiografia, tomografia ou ressonância, que nos auxiliam muito na avaliação. Uma avaliação diferente do médico, pois não usamos o exame para dar um diagnóstico clínico, mas, sim, para nos auxiliar no processo de reabilitação do paciente”, finalizou.