Uniube comemora Jubileu de Ouro dos formandos de 1969

29 de outubro de 19
1 / 8
2 / 8
3 / 8
4 / 8
5 / 8
6 / 8
7 / 8
8 / 8

Cerca de 60 ex-alunos da Universidade de Uberaba (Uniube) se reuniram, na sexta-feira (25), no Centro Cultural Cecília Palmério, no Campus Centro, para a solenidade do Jubileu de Ouro da 14ª turma de Direito, 9ª turma de Engenharia Civil e 19ª turma de Odontologia. Na ocasião, aconteceu o descerramento das placas comemorativas pelos 50 anos de formados e a cerimônia de Outorga do Título de Professor Emérito e dos Diplomas do Mérito Universitário.


Este ano, o Conselho Universitário da Uniube, por indicação dos jubilandos do curso de Odontologia, concedeu o “Título de Professor Emérito” ao professor José Ramos da Rocha. Natural de Abadia dos Dourados (MG), o homenageado graduou-se em Odontologia em 1964. No ano seguinte, fez o curso de Prótese e Traumatologia Bucomaxilofacial na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Em 1967, iniciou a carreira de docente na Faculdade de Odontologia do Triângulo Mineiro (FOTM), hoje Uniube. No mesmo ano, passou a exercer a função de cirurgião-dentista em clínica particular. Em 1980, realizou o curso de Especialização em Administração Universitária pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).


O engenheiro civil, Demilton Facuri Dib, um dos jubilandos, aproveitou o encontro para relembrar histórias com os amigos de longas datas. “Somos colegas do tempo de colégio, então são pessoas que eu conheço há mais de 60 anos. Foi muito bom, emocionante. É uma situação curiosa, porque o tempo passa, mas as histórias que a gente conta são antigas. Não tem ninguém aqui que me contou coisa nova. A gente só tem histórias antigas, que vai lembrando. Como a gente está se encontrando depois de tanto tempo, só estamos relembrando”, disse.


O jubilando em Odontologia, Hamilton Geraldo da Silva, destacou a alegria de reencontrar os colegas de universidade. “Foi muito bom rever os meus amigos da vida inteira e ter a certeza de que eu cursei uma faculdade da qual gostei. Gosto da minha profissão, realizo-me nela e me dedico muito a ela até hoje. Fazia muitos anos que eu não vinha aqui rever a universidade. E foi a primeira vez que eu me reuni com a minha turma”, contou.


Para o cirurgião-dentista, Ney Costa, o Jubileu de Ouro é uma homenagem bem lembrada. “Gostei muito da festividade. Há anos que a gente não se encontrava. A alegria é máxima. Acho que isso deve acontecer sempre. É um incentivo para os próximos colegas que vêm vindo para que tenham ânimo”, comentou.


Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil 14ª Subseção de Uberaba e vice-diretor do curso de Direito da Uniube, professor Eduardo Azank Abdu, muitos dos jubilandos são inspiração. “É um prazer e um privilégio poder estar presente aqui nesta solenidade, porque estes colegas estão fazendo 50 anos, mas muitos deles ainda estão na ativa. Pessoas nas quais a gente acaba se inspirando para começar o exercício da advocacia. Profissionais de renome, já realizados, e, mesmo assim, com disposição de continuar ajudando e levando o nome da Uniube adiante”, concluiu.