Professor dos cursos de Letras EAD da Uniube tem trabalho aprovado em congresso internacional

31 de outubro de 18
1 / 1

O professor dos cursos de Letras na modalidade a distância da Uniube, Henrique Campos Freitas, teve o trabalho "Ensino de Língua Portuguesa: entre o gramatical e o discursivo" aprovado no VII Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa (SIMELP). O evento será realizado de 20 a 24 de agosto de 2019, em Porto de Galinhas (PE).


O trabalho consiste, segundo o docente, em apresentar, a partir de análises de diferentes gêneros textuais, uma visão além da gramática tradicional. “Essa visão é pautada no uso que leva em consideração o enunciado a partir de um contexto de situação, a história, os sujeitos, o grupo social, a cultura, a ideologia que o envolvem e como tudo isso é importante e necessário na hora de, por exemplo, interpretar um texto, não somente em análise estrutural”, explica.


Henrique ainda esclarece que o trabalho teve início a partir de algumas reflexões que teve com Kátia Capucci Fabri e Faraídes de Freitas, também professoras da Uniube. “Demonstramos, também, a importância do poder argumentativo da linguagem em uso, que é quando o produtor do texto escolhe uma palavra e não outra, ou seja, ao decidir pelo uso de uma unidade linguística o autor pretende indicar uma direção de sentidos, apresentando determinadas conclusões”, completa.


O SIMELP é um dos maiores e mais importantes eventos científicos mundiais sobre a língua portuguesa, que já aconteceu em São Paulo, Portugal, China, Goiânia, Itália e, novamente, no Brasil, em Porto de Galinhas. Ele é organizado com a parceria de universidades do mundo todo em que se ensina a língua portuguesa e suas variadas formas de difusão cultural, tais como músicas, língua, linguística e literaturas. “A participação em congressos como esse funcionam como um espaço para agregar pesquisas e discussões entre professores, pesquisadores, estudantes e profissionais interessados na Língua Portuguesa a fim de agregar conhecimentos na área do ensino e/ou de outras áreas ligadas à língua”, diz o professor.


A expectativa com o evento é grande. “Haverá a presença de importantes profissionais de todas as partes do mundo. Isso faz com que se crie um ambiente de (re)construção de conhecimento, impulsionando o ensino e a pesquisa da língua portuguesa e demonstrando sua importância para o mundo”, finaliza.