Procura pelos cursos a distância cresce nos últimos anos

06 de fevereiro de 19
1 / 3
2 / 3
3 / 3

Durante um ano e meio, a rotina da estudante de Pedagogia, Gabriela Gonçalves da Silva, de 20 anos, foi puxada. Conciliar os compromissos diários com a Universidade e ainda encarar o trânsito pesado entre um deslocamento e outro era um desafio. A busca pela praticidade e o desejo de fazer um curso livre na área de estética motivaram Gabriela a optar pela Educação a Distância. “O EAD me deu a oportunidade de concentrar mais nos estudos e de administrar bem o meu tempo, pois, para mim, era bem cansativo ir até à Universidade todos os dias à noite”, conta. A facilidade de estudar em casa, ela diz, também ajudou a melhorar as notas.


Dados mais recentes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) apontam que cerca de 1,7 milhão de brasileiros optam pelo Ensino a Distância, o que representa 21,20% das matrículas totais. Em 2013, eram 1,1 milhão, apenas 15,78% das matrículas totais. Preços e flexibilidade na hora de estudar são os principais fatores para o aumento na procura da modalidade. As mensalidades podem ser até 64% mais baratas que o ensino presencial, segundo a Associação Brasileira de Ensino a Distância (ABED).


Segundo o Pró-Reitor de Educação a Distância da Universidade de Uberaba (Uniube), professor Fernando Marra, as mensalidades são mais em conta, pois há a possibilidade de ter um número maior de alunos em uma mesma turma. “Existem também as razões mercadológicas. O mercado coloca o valor médio de um modo geral, então as instituições praticam esse preço ”, ressalta.


Na opinião de Marra, mesmo quem possui uma rotina carregada ou mora em locais de difícil acesso, a EAD proporciona a oportunidade de realizar uma graduação. A flexibilidade permite que o aluno desfrute de ensino de qualidade, estude em qualquer hora e lugar, necessitando apenas de um computador com acesso à internet. “A modalidade está cada vez mais vindo ao encontro das necessidades das pessoas que querem estudar, pela flexibilidade, pela garantia de qualidade, pelas possiblidades do aluno fazer o curso no seu tempo de acordo com a sua disponibilidade”, esclarece o Pró-Reitor.



Perfil de estudantes e professores




Para o aluno que estuda a distância, o principal aliado é a disciplina. Embora a modalidade dê a liberdade para fazer o próprio horário, os professores afirmam que é importante se organizar e focar nos estudos para obter resultados positivos. “O aluno que estuda a distância, o principal perfil dele é que tenha disciplina e vontade de estudar, porque embora possa fazer o próprio tempo, ele precisa ter um planejamento”, ressalta o Pró-Reitor de Educação a Distância da Universidade de Uberaba (Uniube), professor Fernando Marra.


Já os professores da EAD, segundo Marra, precisam praticar a criatividade na hora das aulas, pois além do domínio do conteúdo é necessário se fazer presente, mesmo a distância. “Não basta apenas ter um bom conhecimento, conteúdo e didática. É fundamental que o professor tenha domínio das novas tecnologias, tenha uma capacidade de empatia grande. Ele precisa, realmente, ser um professor diferenciado para que o aluno possa se sentir protagonista da própria formação”, afirma.



Novidades do EAD Uniube para 2019





Os projetos pedagógicos, cursos e o programa da EAD Uniube estão em constante evolução. Para este ano, o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) virá com novas funcionalidades e novos painéis, que facilitarão o trabalho dos professores, bem como os estudos dos alunos. “Às vezes, dentro do mesmo semestre, antes que mude uma etapa, o aluno recebe melhorias no AVA, novas videoaulas, novas metodologias. Estamos o tempo todo incorporando o estado da arte em EAD nos nossos programas”, conclui Fernando Marra.