Parcerias universidades/empresas beneficiam formação profissional de alunos

10 de agosto de 20
1 / 2
2 / 2

A necessidade de construir uma carreira mais flexível quanto às constantes mudanças no mercado de trabalho está cada vez mais presente na vida dos universitários. Por isso, o estágio é tão almejado por jovens que querem se desenvolver profissionalmente. É por meio dessa experiência que muitos se destacam e conseguem compreender e aplicar o que aprenderam em sala no dia a dia.


Uma das alternativas para que os alunos consigam se destacar no mercado de trabalho desde cedo é aproveitar as parcerias entre empresas e universidades. “A parceria é uma via de mão dupla. A empresa abre essa oportunidade para os alunos terem esse primeiro contato com o ambiente formal, para verem como as coisas acontecem dentro de uma empresa e como nós devemos nos portar no ambiente de trabalho. E eles também trazem para nós a experiência do que tem de mais novo, do que está sendo estudado, as tendências e perspectivas nas áreas”, explica o gestor da Biotec Cosméticos, Daniel Vale.


Para ele, a riqueza deste contato se dá nas diversas áreas de atuação. O gestor se mostra interessado em buscar na academia, por meio dos estudantes, as discussões que podem gerar novas formas de atuação no cotidiano das empresas. “Nós temos muita interação sobre as novidades de como algo é estudado ou desenvolvido hoje em dia na academia e, talvez, podemos traduzir isso para as necessidades da empresa e adequar uma novidade que está sendo estudada na academia para o mundo profissional”, diz.


A estudante do décimo período de Engenharia de Produção, Jéssica dos Nascimento Oliveira, reforça os benefícios desta parceria. Atualmente, ela faz estágio no setor de Planejamento e Controle de Produção (PCP) da Biotec Cosméticos. “Estou me desenvolvendo superbem no estágio, alinhando práticas de várias matérias que estudei durante o curso. Trabalho com desenvolvimento de um projeto de manutenção e foco outras áreas também. Além disso, estou me fortalecendo em relação a várias habilidades, como negociação, comunicação e liderança. Recebi feedbacks muito positivos do meu gestor na indústria sobre o conhecimento que tenho”, conta.


Mais do que a oportunidade do primeiro emprego, ela defende que haja um engajamento entre universidade e empresa na promoção de palestras, visitas e integração entre conhecimento teórico e prático, para que os futuros profissionais desenvolvam as habilidades o máximo possível. “Quando ocorrem parcerias, a empresa cria a oportunidade de desenvolvimento real para o aluno, e a universidade pode adequar suas práticas às necessidades de conhecimento que o mercado demanda. Isso é ótimo para formar profissionais mais capacitados para as oportunidades certas”, comenta.


Programa de Estágio Uniube


Como forma de orientar e auxiliar os graduandos nesta busca pelo estágio, a Uniube conta com o Programa de Estágio (PROEST), setor institucional que tem como objetivo o estabelecimento de convênios com empresas que ofertam estágios para os alunos, tanto obrigatórios como não obrigatórios. O programa possibilita o trâmite de documentos necessários à regulação dos estágios, seguindo a legislação vigente, e a divulgação das vagas ofertadas, tanto para alunos presenciais quanto a distância.


O PROEST é importante por proporcionar ao estudante a primeira prática profissional. “Para os estágios curriculares, que são obrigatórios, ele garante segurança para os alunos, as empresas e a instituição de ensino, uma vez que os documentos são tramitados conforme rege a lei de estágio e o MEC e os alunos são assegurados por meio de Apólice de Seguro. Já os estágios opcionais (não obrigatórios) oportunizam aos alunos o contato prático com o universo do mercado de trabalho, experiências profissionais práticas somadas à fundamentação teórica, e garantem aos estagiários especialmente oportunidades do primeiro emprego”, explica a coordenadora do programa, Glaura Morais Paroneto.