Na linha de frente da pandemia, aluna e egressa da Fisioterapia contam os desafios da profissão

28 de maio de 21
1 / 2
2 / 2

A pandemia da Covid-19 trouxe consigo um cenário complexo e desafiador, mas de muita aprendizagem, principalmente para alunos e recém-formados de diversas áreas da saúde. É o caso da aluna do 9º período de Fisioterapia da Uniube, Laura Morais Silveira Prates, e da recém-formada Sofia Junqueira Garcia, que mal terminaram a graduação e já se viram na linha de frente da atual crise de saúde mundial.


Para elas, tem sido desafiador lidar com a pandemia, mas um momento muito importante para a profissão. Laura está no último ano do curso de Fisioterapia e conta que a cada dia se identifica ainda mais com o curso e com a profissão que escolheu para exercer. Ela atua na linha de frente no Mário Palmério Hospital Universitário (MPHU) e conta que essa experiência tem agregado tanto para o seu profissional quanto para o pessoal.


"É um trabalho árduo, mas necessário. Tenho prazer de estar servindo ao próximo num momento tão crítico. Me sinto realizada quando o paciente agradece pelos nossos cuidados e pelo nosso acolhimento, isso enche meu coração de alegria e gratidão. Me faz perceber que estou no caminho certo. São aprendizados que levarei tanto para a minha carreira profissional quanto para a minha vida pessoal", compartilha.


A fisioterapeuta trainee no MPHU, Sofia Junqueira, também compartilha a experiência em estar na linha de frente da pandemia da Covid-19. Formada em 2020 pela Uniube, ela conta que a experiência a transformou em uma profissional consciente e que zela pela cura e bem estar do próximo. "Atuar na área hospitalar é uma grande responsabilidade. As pessoas estão num hospital em busca da melhora, então devemos ao máximo respeitar a vida do próximo. Ajudar alguém no momento mais vulnerável dele, dizer que vai ficar tudo bem e ver o paciente se recuperando e grato porque venceu, não tem sentimento mais gratificante que esse", comenta a egressa.


Para elas, os desafios da profissão - que tem registrado constante crescimento desde o último ano - trouxeram a certeza da atuação e da dedicação que devem ter no mercado de trabalho. Para os colegas de profissão e para os alunos da Fisioterapia, Laura deixa um recado. "Se dediquem muito aos estudos, busquem conhecimentos além das salas de aula e tenham empatia com os pacientes. É sempre importante lembrar que o paciente é o amor da vida de alguém", compartilha.


O recado também é transmitido e sensibilizado pela ex-aluna, Sofia: "Estudem, dediquem, aprimorem os conhecimentos independentemente da área que atuar, e o mais importante: faça aquilo que te faz sentir feliz e realizado", finaliza.