Minha carreira de sucesso: egressa da Uniube conta sobre atuação como Juíza

18 de setembro de 19
1 / 2
2 / 2

A ex-aluna do curso de Direito da Uniube, Raquel Agrelli, concedeu uma palestra aos alunos do curso para tratar sobre a atuação dela como Juíza de Direito no Estado de Minas Gerais. Raquel cursou Direito na Uniube entre os anos de 2001 e 2004. Durante a graduação, fez estágio no Ministério Público Federal por dois anos e, após formada, atuou como promotora de justiça.


Desde o início da graduação, Raquel já tinha o objetivo de ser aprovada em concurso público, seja para juíza ou promotora de justiça.  “Eu fiquei como promotora de justiça durante quatro anos, depois preferi prestar concurso para magistratura, porque eu não me identificava muito com o cargo, fui aprovada e tomei posse como juíza de direito”, conta.


A rotina para atingir o objetivo proposto era intensa. “Não tem segredo, não existe mágica, nem inteligência que faça você alçar-se a um cargo desse. Por essa razão eu já iniciei a rotina de estudo, fazendo prova, analisando as provas anteriores, doutrinas, jurisprudência, informativos e tudo mais. E essa rotina de estudo me permitiu que, após a formatura, eu conseguisse a aprovação”, pontua.


Sobre a Universidade, a egressa afirma que sempre contou com o suporte dos professores. “Eles percebiam o meu interesse e a minha vontade de conseguir vitória nesses cargos, por isso sempre me apoiaram muito. Tive ajuda de dicas do que estudar, matérias de estudos, orientação, tudo isso por parte deles. Professores excelentes que me conduziram mesmo para essa vitória”, enaltece.


Para aqueles estudantes que buscam o mesmo caminho, Raquel deixa a dica: “Eu sempre oriento que a pessoa tem que ter uma tríade de elementos:  foco, perseverança e disciplina. Ela tem que focar naquilo que ela quer, escolher o concurso ou o cargo que ela pretende fazer, focar e estudar, ter uma rotina de estudos, uma dedicação quase que exclusiva e perseverança, porque eu acho que, invariavelmente, nessa trajetória, haverá fracassos, falhas, reprovações e a pessoa tem que saber se reerguer e manter o foco, porque ela vai acabar sendo aprovada se mantiver a perseverança, a disciplina e o foco”, conclui a juíza.