Mercado audiovisual cresce em Minas Gerais

24 de abril de 19
1 / 1

O que antes era feito de forma intuitiva, hoje apresenta profissionais cada vez mais capacitados para um mercado em expansão. O setor audiovisual gera mais de 10 mil empregos, nas 1,6 mil empresas produtoras em Minas Gerais, e corresponde a 0,57% do PIB, segundo dados mais recentes do Sebrae. A explicação desse crescimento está na digitalização dos meios de comunicação que dependem dessa mão de obra.


De acordo com a coordenadora do curso de Audiovisual, da Universidade de Uberaba (Uniube), Celi Camargo, o curso surgiu com o intuito de formar os que já possuíam habilidade na área, mas não tinham estudo, e aqueles que, devido à evolução midiática, perceberam a relevância da atividade dentro dos meios de comunicação. “Procuramos atender tanto os que estão com uma nova visão de produção e com ideias criativas quanto os profissionais que já estavam no mercado e que ansiavam por uma qualificação”, explica.


As áreas de atuação para o profissional de Audiovisual são amplas, como: direção de câmera, captação de imagem, direção geral, fotografia, produção de áudio, entre outras. “É um leque muito grande e nós buscamos capacitar o aluno para que ele atue seja na área de produção, pré-produção ou pós-produção”, ressalta Celi. “Há espaço para todos os perfis desde os mais ousados até aqueles que se acomodam mais em trabalhar pesquisas dentro das redes”, completa.


Segundo a ex-aluna de Audiovisual da Uniube, Dayenne Carvalho, o curso trouxe muitos aprendizados, entre eles, capacidade de lidar com as pessoas e o dever de emergir em outras fontes de informação e aprendizados. “Muitas coisas que aprendemos na sala de aula precisam ser vividas e aprofundadas para termos êxito em adquirir o conhecimento”, conta. “Os professores sempre foram muito solícitos, bem como a coordenação do curso, o que nos proporcionou uma bagagem muito relevante”, acrescenta. Atualmente, ela desenvolve atividades como diretora de arte, figurinista e produtora.


Para o futuro, a egressa pretende buscar caminhos que se encaixem com seus ideais. “Agora que finalizei a graduação, estou buscando me especializar na direção de arte e me manter atenta nas oportunidades de imergir no mercado cinematográfico ou streaming”, disse.


Aos que estão começando na área, a coordenadora do curso, Celi Camargo, deixa um conselho: “Não tenham medo. Se atirem, sejam mais ousados na questão da produção. Inventem e produzam coisas, porque é daí que surgem grandes projetos e ideias. Não basta simplesmente assistir às aulas e fazer aquilo que os professores mandam, é preciso colocar a mão na massa e experimentar mais. Acima de tudo, praticar a leitura, para ampliar a criatividade e o leque de visão crítica do mundo e, assim, produzir boas coisas”, afirma.


Curso de Audiovisual na Uniube


Criado em 2017 o curso de Tecnologia em Produção Audiovisual da Uniube é pioneiro na região do Triângulo Mineiro. Com duração média de dois anos, essa graduação surgiu devido à lacuna da falta de mão de obra qualificada para atender o mercado produtor.


Segundo a coordenadora, Celi Camargo, um dos diferenciais do curso é o corpo docente e a presença de um parque tecnológico preparado para atender os alunos. “Aqui eles desfrutam da oportunidade de trabalhar todas as etapas do processo de produção, com o auxílio de professores e técnicos que os instigam e os incentivam a construir materiais que proporcionam grandes experiências”, afirma.


Ainda de acordo com a coordenadora, excelentes profissionais estão sendo lançados no mercado de trabalho graças a essa nova oportunidade de formação. “Nós estamos formando um grupo muito bom de profissionais, alunos muito criativos, e isso é muito importante ressaltar”, finaliza.