Maratona de Programação da Uniube Uberlândia é realizada virtualmente

04 de maio de 20
1 / 2
2 / 2

A Uniube Uberlândia promoveu, em abril, a 9ª edição da Maratona de Programação, utilizando a plataforma URI Online Judge. A competição estimula a capacidade do aluno de resolver problemas computacionais de modo rápido e eficiente, habilidades exigidas de um profissional de Computação. Devido às recomendações de isolamento social, o evento foi realizado, pela primeira vez, de forma on-line. Ao todo, 34 competidores dos cursos de Engenharia da Computação e Elétrica participaram.


A plataforma URI Online Judge contém mais de mil problemas, divididos em oito grandes categorias, e possui um módulo único para os professores criarem competições e acompanhar o progresso dos estudantes, dando a eles feedback em tempo real. Segundo a coordenadora do projeto de extensão, professora Luciene Chagas de Oliveira, a Maratona de Programação também estimula o raciocínio lógico, promove o desenvolvimento pessoal, a diferenciação no mercado de trabalho e permite adquirir novos conhecimentos.


Esta foi também a primeira vez que o aluno pôde utilizar o celular para resolver os problemas por meio da programação de computadores. Além da professora Luciene, a maratona teve o envolvimento do coordenador do curso de Engenharia de Computação, professor Stéfano Schwenck Borges Vale Vita; do professor Eldane Vieira Júnior; e do professor Eduardo Chagas de Oliveira.


Na opinião do aluno Pedro Daibert, a maratona é uma das diversas oportunidades que o estudante tem para testar os conhecimentos a respeito das linguagens de programação. “É uma forma divertida de os alunos competirem entre si de forma amigável. Ter programado no celular foi uma experiência totalmente nova, pois nunca havia feito algo do tipo. A grande diferença, realmente, é o dispositivo usado, fora que no celular é mais demorado em alguns aspectos, como, por exemplo, desde para digitar até mesmo trocar, entrar e sair dos aplicativos do celular. Mas quem já está familiarizado com alguma linguagem de programação não teria problemas ao programar no celular”, conta.


Para o aluno Leiser Victor Marra, a maratona foi produtiva e didática. “Acho que nos acrescenta muita experiência acadêmica e pessoal, nos colocando em uma competição saudável que mede nossos conhecimentos e traz desafios curiosos. Apenas tenho a agradecer aos professores, instituição e todos os envolvidos para a realização da maratona e pelo clima tão agradável entre os participantes”, finaliza.