Jubileu de Pérola reúne turma de Odonto

16 de fevereiro de 17
1 / 4
2 / 4
3 / 4
4 / 4

Ex-alunos da Universidade de Uberaba realizaram, no último sábado (12), um encontro para comemorar o Jubileu de Pérola. A turma de Odontologia, formada há 30 anos pela, na época, Faculdades Integradas de Uberaba (Fiube), atual Universidade de Uberaba (Uniube), reviveram os diversos momentos vividos durante a graduação, inclusive, com a presença do professor, nome da turma, Amir Mattar.


A reunião aconteceu no campus Centro, em Uberaba, e foi marcada por grandes recordações. Por meio de umtour, os jubilandos tiveram a oportunidade de rever as salas de aulas e a policlínica, lugares que despertaram boas lembranças. “Eu estive aqui em Uberaba algumas vezes visitando a policlínica, mas hoje o que me marcou na entrada do campus I, foi a portinha em que eu fiz a matrícula da faculdade”, recorda o jubilando José Eduardo Biselli.


Mais do que simples memórias, o jubilando Dr. Moisés Francisco Baldo Taglietta reconhece que a Universidade foi crucial para sua atual formação profissional. “Daqui, do tempo de faculdade, as melhores lembranças são impublicáveis. Eu sou gestor de saúde há muitos anos e fiz mestrado, doutorado e especialização nessa área e na realidade a base do que eu sei, do que eu penso, e do que é possível ser feito em saúde pública nesse país, saiu daqui, é uma coisa que não vejo em outras faculdades. Então aprendi muito e levo para a vida toda”, reforça.


O ex-aluno Francisco Ritter Neto lembra com muita satisfação dos professores: “Como fui para a área acadêmica, virei professor, então rever os mestres é o que mais me traz a lembrança do tempo de escola”, conta.


E por falar em professor, o dentista Amir Mattar marcou presença no evento. O Docente, tem mais de 50 anos de histórias na Universidade e se alegra em participar deste momento com a turma que recebeu seu nome.  “Sinceramente a Universidade de Uberaba foi a minha vida toda. Entrei após o vestibular em 1955, formei em 1957. Em seguida fui convidado para dar aula na clínica, já iniciando minha vida como professor no dia primeiro de abril de 1958. E eu vi a evolução da nossa faculdade, participei das etapas em que ela foi crescendo. Era Faculdade de Odontologia do Triângulo Mineiro, depois Fiube e depois essa Instituição tão grande que é a Uniube. Isso para mim é uma coisa muito sagrada”, enaltece o professor.


A filha do professor, jubilanda Sara Mattar, se sente privilegiada por ter compartilhado um momento tão importante, como a graduação, com o seu pai e também professor. “E é mais gostoso ver o tanto que ele é querido, o tanto que ele ensinou e foi proveitoso para cada um, não só como profissional, mas também como pessoa”, concluiu.