Ex-aluno da Uniube é aprovado no doutorado da Unesp

07 de abril de 21
1 / 1

Projeto de pesquisa traçará trajetória política e diplomática do professor Mário Palmério


O ex-aluno do Curso de Direito da Universidade de Uberaba (Uniube), Guilherme Gonzaga Bento, foi aprovado no doutorado em História e Cultura Política na Universidade Estadual Paulista (Unesp), com projeto de pesquisa sobre a trajetória política e diplomática do professor Mário Palmério, fundador da Uniube. Segundo o ex-aluno, a figura de Mário Palmério lhe desperta interesse desde a época da graduação em Direito. 


Guilherme concluiu o curso de Direito em 2014 e conta que, de lá para cá, nunca parou com as pesquisas e com os estudos. Ele também é licenciado em História, mestre em História Política e autor de dois livros: "Representações políticas em Mafalda (1964-1965)" e "Política externa é notícia no interior - a PEI de Jânio Quadros nas páginas do Jornal Lavoura e Comércio (1960-1961)".


Ainda durante a primeira graduação na Uniube, o ex-aluno participou da iniciação científica em Direito Constitucional, sob a orientação do professor André Del Negri, durante dois anos. Além disso, participou do grupo de pesquisa em Direito e Política Internacional, coordenado pela professora Andréa Fabri. Para ele, essas experiências durante a graduação contribuíram com a trajetória que decidiu seguir. "Com certeza foram experiências que ajudaram muito para minha vida acadêmica, especialmente no desejo de fazer o mestrado e o doutorado e também na escolha dos meus temas de pesquisa", explica.


O ex-aluno conta que seguir a trajetória política de Mário Palmério como objeto de pesquisa será um grande desafio para os próximos quatro anos, uma vez que boa parte das pesquisas acadêmicas aborda a trajetória de Mário enquanto professor e pouco é falado sobre a história dele na política.


De acordo com Guilherme, a trajetória política que será estuda durante o doutorado da Unesp situa-se entre os anos de 1950 e 1964, período em que Mário Palmério se elegeu deputado federal pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), por três mandatos (1950; 1954; 1958) e o ano de 1962, quando Mário foi indicado embaixador do Brasil no Paraguai.


"A figura de Mário Palmério sempre me intrigou desde a graduação em Direito, quando pude conhecer melhor sua história. Ele foi um personagem de múltiplas facetas: professor, empresário, literato, político, diplomata e músico. No entanto, as pesquisas acadêmicas quase sempre se dedicaram a estudar sua faceta como escritor, deixando de lado sua trajetória política, e quase omitindo sua breve trajetória como embaixador. O Mario Palmério político e embaixador sempre me intrigou e isso me fez querer compreender mais essa sua faceta", explica o advogado e historiador.


Para os alunos que ainda estão concluindo a graduação e que pensam em seguir na área de pesquisas, Guilherme incentiva a traçar objetivos e metas. "Tenha muita determinação, força de vontade e estude muito. O desânimo às vezes vai aparecer pra tentar nos derrubar, por isso é preciso ter coragem para seguir nossos sonhos e sempre acreditar que podemos alcançá-lo por mais longe e difícil que possam parecer", finaliza.