Ex-aluna de Administração da Uniube é aprovada em Mestrados da USP e UFSC

28 de junho de 21
1 / 1

Desde o início da graduação em Administração, Isabel Martins Nery se interessou pelas matérias que eram mais voltadas à educação. Da paixão, Isabel desenvolveu um projeto voltado para a educação financeira, que foi fundamental para a aprovação em dois Mestrados: no Programa de Pós-graduação em Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP) e no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).


Isabel se formou em 2020 e atualmente trabalha como gestora em saúde, em um centro de saúde mental de Uberaba. Durante a graduação, desenvolveu habilidades de gestão, a partir daí, decidiu se aproximar de professores da Universidade para adquirir mais conhecimentos. "Surgiu a oportunidade de ser monitora na Uniube, meu primeiro contato com a educação. O que, a princípio, seria apenas para completar pontos complementares se tornou algo extremamente prazeroso e foram três semestres muito divertidos em que aprendi técnicas para me comunicar melhor e ser mais didática".


No último período, a ex-aluna decidiu que faria Mestrado e tentaria a prova da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração (ANPAD) para o ingresso na FEA. "Estava tendo aulas de gestão estratégica com uma professora superquerida que me influenciou muito a seguir o meu caminho e também tive aulas de gestão de carreira, que me deram um norte para onde ir. Precisei de muita disciplina e organização para conciliar meus estágios com o término da faculdade e a prova", explica Isabel.


Logo que fez a inscrição, Isabel já começou a se preparar e estudar. "Fiz a edição de setembro e por pouco não consegui. Tentei novamente em novembro e consegui. Durante este tempo, fui pesquisar sobre mestrados em educação, então, comecei a desenvolver um tema sobre educação financeira nos primeiros anos da escola e os impactos disso na vida futura. Eu me encontrei neste projeto que submeti e tive resultados muito satisfatórios: a segunda aprovação", continua.


O projeto explica sobre os comportamentos financeiros das pessoas e como a aprendizagem mediada pela escola pode ajudar nesses aspectos, dentro dos diferentes estágios do desenvolvimento humano, e como as instituições de ensino podem contribuir mais ativamente para transformar a realidade das famílias. "Acredito que o jovem tem um poder transformador, não só para o futuro, mas para o presente também em atos simples, como o de contar aos pais o que aprendeu na escola e ensinar a eles aquilo que aprendeu".


A ex-aluna afirma que as conquistas são engrandecedoras. "Embarquei em um tema pouco explorado e desafiador, submeti a inscrição e felizmente foi aprovada. Agora os novos desafios são para defender tudo aquilo em que eu acredito e de alguma forma levar a educação financeira para diferentes pessoas. Nunca deixando de lembrar da minha trajetória e das minhas inspirações. Quero continuar fazendo a diferença, semeando ensinamentos, e seguir na carreira acadêmica até um doutorado e pós-doutorado", finaliza.