Estudantes de Medicina recebem orientação das Forças Armadas sobre prestação de serviço militar

29 de abril de 21
1 / 3
2 / 3
3 / 3

Os militares das Forças Armadas do Brasil (Exército, Marinha e Força Aérea) estiveram na Universidade de Uberaba (Uniube), nesta semana, para apresentação e orientação sobre o alistamento dos graduandos do último ano do curso de Medicina junto ao serviço militar. O serviço é obrigatório para os homens e voluntário para as mulheres, conforme dita a Lei de Prestação de Serviço Militar de 1967.


Durante o evento, os estudantes receberam explicações sobre o Estágio, Adaptação e Serviços (EAS), os processos que darão a posição de médico militar aos recém-formados. Segundo a equipe de militares, as convocações para prestação do serviço militar ocorrem, anualmente, em dezembro e a incorporação a partir de fevereiro. Após a convocação, o médico militar deve, obrigatoriamente, permanecer no Exército por um ano, podendo prorrogar a permanência por no mínimo seis meses e no máximo oito anos.


Segundo o subtenente do Exército, Fabiano Xavier, as Forças Armadas possuem um sistema próprio de saúde, assim como o Sistema Único de Saúde (SUS). Entre as áreas de atuação, os médicos convocados ou voluntários podem atuar em diversos segmentos, tanto no Hospital da Força Aérea (HFA), no Hospital Militar de Área de Brasília ou em missões pelo país. "Onde tem tropa, tem equipe de saúde trabalhando junto. Não há exército sem os médicos, por isso é tão importante o alistamento dos graduandos e dos recém-formados em Medicina", explica o subtenente.


Como exemplo do serviço voluntário feminino nas Forças Armadas, a aspirante médica, Maria Clara Porto, também esteve na atividade e compartilhou a experiência como médica recém-formada com os futuros colegas de profissão. "Quando eu estava na posição deles, como aluna, e recebi essa palestra, senti que era isso mesmo o que eu queria. O Serviço Militar está sempre em renovação, não ficamos lá para sempre, então vir aqui e passar toda a experiência que já tive neste período como médica aspirante é muito importante para mostrar a necessidade desta renovação e mostrar aos alunos que eles podem ir de cabeça aberta que vão fazer o melhor por todos", compartilha a aspirante.


Durante a apresentação, alguns estudantes demonstraram interesse na carreira junto às Forças Armadas do Brasil. O aluno do 11º período de Medicina, Romeu Francisco Maia, conta que a atividade conseguiu lhe mostrar novos horizontes da profissão. "A palestra sobre os benefícios e o trabalho no Exército Brasileiro me abriu a mente e expandiu para um universo de possibilidades que ainda não conhecia. Sempre pensei em fazer residência em clínica médica e depois seguir para a cardiologia ou pneumologia, mas a área militar nunca tinha me chamado a atenção até então", compartilha o aluno.


*O evento seguiu todos os cuidados preventivos contra a Covid-19, respeitando o distanciamento entre os alunos e palestrantes e o uso de máscara e de álcool em gel.