Direito Uniube se destaca com 63% de aprovação na 1ª fase da OAB

05 de março de 20
1 / 1

A Universidade de Uberaba (Uniube) teve aprovação de 63% de alunos na 1ª fase do XXX Exame Unificado da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Uberaba. No resultado preliminar, dos 92 aprovados 58 representam a Uniube, sendo 23 ex-alunos e 31 alunos dos 9º e 10º períodos.


A coordenadora do curso, professora Andréa Queiroz Fabri, afirma que são mescladas atividades avaliativas e aulas que possibilitem ao estudante um preparo para os mais variados processos seletivos após a graduação. “É muito importante para nós esse resultado, porque de alguma forma é fruto de um trabalho que nós fazemos. Já é a segunda edição de uma prova da OAB com questões mais contextualizadas e interdisciplinares, que tratam a atualidade e como ela é vista pela norma, jurisprudência, e a gente busca trabalhar muito isso no curso. Nós precisamos sempre focar um estudo sério e melhorar sempre”, afirma a diretora do curso de Direito, Andréa Queiroz Fabri.


E foi exatamente este o objetivo do estudante do 9º período de Direito, Lucas Ferreira Mazete Lima, aprovado na primeira fase do XXX Exame da OAB, foco nos estudos, ser aprovado em advocacia criminal e seguir área acadêmica. “Utilizei-me de métodos de resoluções de questões. Fazia uma média de 50 questões por dia e ia revisando o que eu já sabia, aprendendo com os erros”, conta o aluno.


Ainda segundo o aluno, o curso foi essencial para essa primeira conquista. “O curso me ajudou com as aulas de instruções, realizações de provas de concursos, dicas e métodos para facilitar a resolução de questões. Além disso, todo conteúdo que caiu na prova eu já tinha visto no curso mesmo estando no nono período”, pontua.


Para a segunda fase, Lucas já iniciou o cronograma de estudos. “Estou me utilizando da metodologia de estudo de caso, tendo em vista ser esse o foco da prova, e também farei simulados que serão organizados pelo diretório acadêmico em parceria com o curso. Além disso, também contaremos com aulas de revisão do professor Leuces Teixeira”, conclui.