Direito Uniube: Mais de 100 alunos são aprovados em Uberaba e Uberlândia

03 de outubro de 19
1 / 1

A Uniube foi destaque no XXIX Exame da OAB. Em Uberaba, dos 88 aprovados no resultado preliminar da 2ª fase do Exame, 28 são alunos da Uniube e 25 egressos da instituição, o que representa 60% da aprovação. Em Uberlândia 30 alunos foram aprovados, sendo 15 formados e 15 estudantes do 10º período.


O Exame da OAB tem como objetivo a avalição da capacitação e conhecimento das práticas necessárias à advocacia. São realizados três exames anualmente, com duas fases cada um. “Para nós, do curso de Direito, é muito importante saber que nossos alunos e egressos têm sucesso na prova que abre as portas para uma das carreiras que o Direito proporciona. É gratificante saber que nosso trabalho tem tido bons resultados e lutamos para que isso melhore a cada dia”, destaca a coordenadora do curso de Direito da Uniube, em Uberaba, Andréa Queiroz Fabri.


De acordo com o coordenador do curso de Direito em Uberlândia, Alexandre, o aprimoramento da graduação é constante e os bons resultados dos processos seletivos advém do ensino jurídico praticado. “As práticas pedagógicas são executaras por professores experientes e que se dispõem a manter relação de ensino muito próxima dos alunos, estimulando-os. Além dos estudos em sala de aula, as práticas jurídicas, a iniciação científica e as atividades de extensão, auxiliam na boa formação. No último ano do curso muitos alunos atuam em bons estágios remunerados e boa parte dos que prestam a OAB são aprovados antes da colação de grau. Manter este compromisso com o ensino jurídico é fundamental para seguirmos comemorando os bons resultados alcançados por nossos alunos”, salienta.


 


Preparação para o Exame


A estudante do 10º período de Direito, Maria Márcia Belarmino, conta que entrou para a Universidade com propósito de se esforçar nos estudos. “Sou estudante, não ‘escolante’. Não vou apenas responder chamar ou cumprir calendário. Sempre vou à aula para estudar, prestar atenção e aprender mesmo. E, a partir do momento que você encara com responsabilidade, esforço, dedicação e foco, naturalmente vai alcançar o objetivo”.


E foi com essas características que a aluna de 52 anos conseguiu aprovação no Exame da OAB. “Comecei a me preparar para o exame desde o primeiro dia de aula, estava decidida a passar no exame da ordem antes de concluir a Universidade, antes da colação de grau. E com esse propósito vinha me preparando, todos os dias um pouquinho. O exame é extremamente difícil, mas não é impossível. Creio que é a vantagem de ir para a universidade na maturidade, você se compromete de verdade. Percebe que o tempo de estudante é precioso demais, que na sala de aula você tem um norte, uma direção de conteúdo para poder buscar lá fora o que não é possível ver em sala.  Afinal, o tempo é curto demais”, enaltece Maria.


Para a primeira fase, Maria afirma que se deparou muitas questões que foram trabalhadas em sala de aula. E na segunda revisou todos os materiais. “Para a segunda fase, estudei novamente direito material e foco no processual. Não tive tempo para fazer simulados, mas estudei os simulados prontos e respondi estudando algumas questões. Não dá para ser aventureiro. Você tem que saber o que está procurando. Nos últimos 30 dias que antecederam a prova 2ª fase, foi imersão total, só saía de casa para trabalhar e ir para a universidade”, compartilha.


Mas todo esforço foi recompensado pelo alívio da aprovação. “Tirei um peso enorme dos meus ombros. Não estava preocupada com a cobrança dos outros, porém cobrava de mim mesma, afinal, no exame você concorre como seu conhecimento, entendimento e preparação, com mais ninguém. Para mim, Direito é sonho de vida”, continua.


Maria ressalta ainda que sempre quis estudar na Uniube e tem planos de prestar concurso para magistratura. “Os professores são muito bons, com um elevado grau de excelência.  Há comprometimento por parte do corpo docente, são dedicados, se preparam para ministrar as aulas, não chegam de mentes e mãos vazias. E eu me preparo para ser a melhor causídica possível, vou exercer a advocacia e paralelamente vou me preparar para concursos”, finaliza.