Direito em família: irmãos Araújo compartilham experiência de escolherem a mesma profissão

24 de agosto de 20
1 / 1

Vinícius, Arnaldo, Victor e Georgette. Quatro membros de uma mesma família — três irmãos e uma cunhada — ajudam a construir os 15 anos de história do Curso de Direito da Uniube Uberlândia. O primeiro a inserir a universidade no âmbito familiar foi Vinícius Segatto Araújo, do 9º período do curso. “Minha grande motivação em ir para a Uniube foram meus amigos e a própria Instituição, por ser didática e ter ótimos professores. Quando entrei, minhas expectativas eram as melhores possíveis e, com o tempo, percebi que a Universidade possuía professores altamente capacitados e carismáticos, que visam sempre ajudar o aluno e buscar ao máximo repassar o conhecimento”, diz.


Contente com a Instituição, Vinícius sempre comentava sobre a Uniube em casa. Bem ao estilo propaganda boca a boca. Não demorou muito para os irmãos também se interessarem pela Universidade e pelo curso. Arnaldo Segatto Araújo está no 6º período e também se surpreendeu com a estrutura e com o corpo docente. “Estudo na Uniube há 2 anos e meio. Considero a Universidade uma referência em excelência e praticidade. Com o curso, consegui chegar a lugares que jamais imaginei, por exemplo, estagiar na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) da Polícia Federal e, recentemente, fui aprovado no programa de estágio do Tribunal de Justiça de Minas Gerais”, conta.


Victor Segatto Araújo também está no 6º período de Direito. Apesar de a escolha pela Universidade ter sido por influência do irmão, ele diz que os objetivos são diferentes. “Pretendo seguir uma Pós até chegar ao Doutorado. Tenho muitas expectativas com base no curso, que é bom e oferece várias oportunidades. Quando a gente começa a fazer a graduação, percebe, realmente, o mundo de outra forma. As minhas expectativas são passar no exame da Ordem, advogar, além de passar em um concurso e manter a estabilidade profissional. Quero evoluir ao longo da jornada do Curso de Direito, conforme os períodos vão passando, e continuar aprendendo por vários meios que não podia imaginar”, afirma.


Mais do que gerar conhecimento e contribuir para o futuro profissional dos três irmãos, a Universidade também ajudou a escrever outra história. Foi durante a graduação que Vinícius, o primeiro dos três a ingressar no curso, conheceu a atual namorada, Georgette Coelho. Hoje, ela cursa Pós-graduação em Processo do Trabalho e também MBA em Direito Agrário e Ambiental, ambos na Uniube.


O interesse pelo Direito na vida dela surgiu ainda na infância. “Na minha família não tinha ninguém na área, mas eu sempre quis ser advogada. Eu me transferi para a Uniube por ter a grade compatível com a primeira instituição em que me matriculei, mas, desde o primeiro dia até o último, eu fui surpreendida positivamente. Estava acostumada a um ambiente negativo, competitivo e de reprovação na outra instituição e na Uniube fui acolhida, tratada com respeito. Aprendi muito mais, conheci pessoas maravilhosas, amigos, professores e, claro, meu namorado”, conta Georgette.


Direito em família


Segundo o coordenador do Curso de Direito da Uniube Uberlândia, Alexandre Corrêa, a recorrência de famílias inteiras na Universidade tem se tornado cada vez mais comum. Ele mesmo é prova disso. “Acaba sendo natural para o aluno falar sobre a Universidade e recomendar para parentes, amigos e vizinhos. E isso, claro, para todos nós do corpo docente, deixa uma mensagem positiva em relação à avaliação que os alunos têm do curso. São egressos que retornam com os filhos, parentes dos amigos que continuam mantendo relação com a Universidade. Tudo isso influencia a hora de escolher a instituição de ensino. Falo isso por experiência pessoal, sou pai de uma estudante do Curso de Direito e esposo de uma professora, também do curso”, diz.


Direito Uniube


O Curso de Direito da Uniube Uberlândia forma profissionais aptos para o exercício técnico-jurídico nas diversas áreas, com sólida formação geral, humanista e ética, no trato das realidades socioeconômicas, desde 2005, quando foi inaugurado na cidade. No que diz respeito a este período atual, segundo o professor Alexandre, as primeiras semanas de volta às aulas, de forma on-line, foram as mais difíceis. “Entramos em distanciamento social em março, ou seja, foi quase o semestre inteiro vivendo esta situação, que é inédita para todos. Porém, os setores de apoio da Universidade rapidamente disponibilizaram a estrutura que utilizávamos nos cursos a distância para todos os alunos”.


Após a adaptação das aulas, surgiram outros desafios, as avaliações. “Depois de março, os alunos também começaram a se adaptar e pudemos continuar de forma mais tranquila o semestre. É óbvio que a limitação física muda um pouco a rotina, mas as plataformas serviram bem a que o Direito já está acostumado a fazer. No final, tivemos algumas dificuldades em alinhar como seriam as avaliações, mas, por fim, todo o empenho resultou em novas práticas, o que aumentou a experiência de todos”, finaliza o coordenador.