Dia dos professores: Newton Mamede completa 50 anos de docência na Uniube neste ano

15 de outubro de 21
1 / 1

"Educar: eis o sentido e a dignidade da docência", diz o professor universitário Newton Luís Mamede, que completou, no último sábado, 50 anos de atividades na Uniube. Nesse meio século, foram mais de 10 cursos diferentes em que ministrou aula e um número incalculável de alunos formados.O docente é graduado em duas Licenciaturas: Filosofia e Letras e possui especialização em Língua Portuguesa.


O principal motivo que levou Mamede a buscar docência foi vocação. "A vocação é pendor para a profissão. Depois, preparo responsável, por meio de estudo persistente, de aperfeiçoamento constante, de didática, de interação humana e de amor à profissão.Desde os tempos do Ensino Médio, eu já manifestava simpatia pelo magistério. Começando o curso superior, meu primeiro emprego já foi como professor, lecionando à tarde e à noite, e estudava de manhã", conta.


A primeira graduação foi em Filosofia, depois o professor optou também por estudar Letras. Uniu o que aprendeu com as duas graduações com  os  textos. Foram mais de 300 crônicas escritas por ele em sete anos. "Minhas crônicas eram de sátira e humor, terminavam com um episódio humorístico, mas sempre criticando e satirizando a sociedade, a política e as pessoas", conta.


Newton soma um total de 54 anos de magistério ou docência, desses, 50 foram de atividades na Uniube. "Nos dois primeiros anos (1967 e 1968), eu não era registrado, por isso é que digo que tenho 52 anos de magistério, isto é, de emprego registrado. Em agosto de 1971 eu iniciei a docência na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras  São Tomás de Aquino (FISTA), posteriormente incorporada à FIUBE, com vistas à criação da Universidade. Em outubro de 1988, foi oficializada a transformação da FIUBE em Universidade, ficando o nome de Universidade de Uberaba (Uniube). Por isso é que eu pertenço à Uniube desde 1971, pois a Uniube tem a FISTA como sucessora", continua o professor.


Durante todos os anos de docência, Mamede afirma que os desafios foram positivos. Ele procurou estudar sempre para aprender cada vez mais e se manter atualizado nas inovações pedagógicas e científicas. "Neste percurso exerci diversas atividades, além do magistério, além da sala de aula. Já fui Chefe de Departamento, Diretor de Centro e Coordenador de Curso, no tempo da FIUBE. E, na situação de universidade, Uniube, já fui Pró-Reitor para Assuntos Acadêmicos (o primeiro pró-reitor da Uniube), Diretor do Centro de Ciências Sociais e Ombudsman. Por isso, a Universidade representa, para mim, realização pessoal e profissional, além de crescimento. Crescimento em saber, em relacionamento humano, em experiência e em preparo para capacitação administrativa".


Sobre a profissão, o professor destaca que se sente feliz e realizado. "Significa realização profissional e humana, a realização plena como pessoa integrada à sociedade, por meio do trabalho, da profissão de educar, promovendo mudanças na pessoa", finaliza.