Cargos na área de tecnologia estão entre os mais procurados, diz pesquisa

27 de maio de 20
1 / 2
2 / 2

Foi inspirado pela profissão do pai que o analista de sistemas, Leandro Inácio Lima de Souza, se interessou naturalmente por tecnologia. “Eu o via montando aplicações e, como toda criança, queria muito montar um joguinho do jeito que eu quisesse”, conta. Ainda na adolescência, Leandro se matriculou nos primeiros cursos nessa área. Quando chegou à Universidade, a escolha do curso não poderia ser outra: Sistemas de Informação. Hoje, oito anos depois de formado, ele atua como Engenheiro Frontend em uma empresa do setor imobiliário, em Berlim, na Alemanha.


Formado pela Universidade de Uberaba, Leandro afirma que o companheirismo de professores e a oportunidade de contato com o mercado de trabalho marcaram a graduação. “O curso ajudava muito para que todos conseguissem um trabalho ou estágio na área desde o primeiro período e no mercado isso conta muito. Lembro-me de sempre receber várias mensagens no sistema sobre oportunidades e sugestões de cursos extracurriculares. Ter uma experiência e contato com o mercado profissional durante o curso nos ajuda muito a ter noção de em qual área especializar e garante muitas oportunidades no mercado”, destaca.


A primeira oportunidade de trabalho apareceu no último ano do curso de Sistemas, uma vaga de analista de testes. “Até janeiro deste ano eu trabalhava liderando uma equipe na QAT Global em Uberaba. Trabalhei lá por oito anos e meio. Depois saí para trabalhar como Engenheiro Frontend na Homeday, empresa do setor imobiliário, na Alemanha”, compartilha.


Ir para o exterior não seria novidade para Leandro, por isso agarrou a oportunidade. “Tive a oportunidade de ir algumas vezes aos Estados Unidos e sempre foi muito bom. Quando surgiu a chance de ir para a Alemanha, perguntei a amigos que já estão lá e tentei comparar com experiências que já tive. Todos gostam muito do país, então não havia motivos para não tentar”.


Sobre a área de Sistemas de Informação, o egresso pontua que é um mercado cada vez mais requisitado. “O mercado está superagitado, muitas vagas disponíveis, portanto as empresas estão contratando mesmo que você não tenha experiência. É importante saber disso caso a pessoa esteja à procura de algo seguro. Não estou garantindo empregos e riqueza, mas sim boas oportunidades, bons salários, desde que a pessoa invista em sua formação profissional”, complementa.


Uma pesquisa realizada pela equipe da empresa LinkedIn confirma o pensamento de Leandro. O levantamento “Profissões Emergentes” revelou que 9 entre 15 cargos mapeados pela rede com mais demanda no mercado estão ligados à área de Tecnologia da Informação. “Cada dia que passa surgem mais empresas procurando profissionais, seja no Brasil ou no exterior. Por isso, é importante se manter atualizado. Comprar livros, cursos, acompanhar fóruns, convenções. Tem que gostar de estar em dia com as novas tecnologias e métodos que estão sempre surgindo”, continua.


De acordo com o coordenador dos cursos de Sistemas de Informação, Jogos Digitais e Análise de Sistemas da Uniube, estudos recentes apontam um significativo déficit de profissionais de Tecnologia da Informação nos próximos anos. “Cabe às instituições de ensino atuarem para suprir essa demanda. A formação em nível superior é fundamental para o sucesso em inúmeras carreiras a serem seguidas pelos profissionais da área, e um fato que chama a atenção é que grande parte dos alunos dos últimos períodos de cursos como Sistemas de Informação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas já estão no mercado quando são graduados, seja como bolsistas, como estagiários ou mesmo como profissionais efetivos”, pontua o coordenador.


Sistemas de Informação - Uniube


O curso de Sistemas de Informação da Universidade de Uberaba forma profissionais com habilidades técnicas e comportamentais necessárias para a prática da profissão, com criatividade e autoconfiança. “Oferecemos uma sólida formação em termos das habilidades técnicas exigidas atualmente pelo mercado de TI, em seus vários setores, além de estimular os alunos a participarem de programas e projetos de extensão, iniciação científica, empreendedorismo e responsabilidade social”, ressalta Luiz Paiva.


A graduação também oferece sólida formação em habilidades exigidas, relacionadas ao trabalho em equipe, como comunicação, adaptabilidade, ética e tomada de decisões. “Os cursos de TI da Uniube mantêm amplo contato com empresas da área e, assim, estabelecem um cenário em que, constantemente, são oferecidas, aos alunos, oportunidades de estágio e contratação. As empresas participam de eventos promovidos pela Uniube, a convite dos cursos, e, assim, há uma frequente aproximação entre elas e a Universidade, para que os alunos tenham a oportunidade de ampliar seus conhecimentos e de traçar suas carreiras, antes mesmo de se graduarem”, conclui.