Aluno de Direito da Uniube estuda seis meses em Portugal pelo programa Santander Universidades

10 de setembro de 19
1 / 5
2 / 5
3 / 5
4 / 5
5 / 5

O estudante do curso de Direito da Universidade de Uberaba (Uniube), João Vitor Santos Salge, conseguiu, por meio da bolsa Ibero-Americanas, do Santander Universidades, cursar um semestre da graduação na Universidade de Coimbra, em Portugal. O programa tem como objetivo proporcionar a mobilidade internacional e incrementar a qualidade de formação dos alunos de graduação das instituições de Ensino Superior participantes.  


João descobriu o programa por meio de uma divulgação feita no Ambiente Virtual do Aluno (AVA). Ele, então, decidiu participar da seleção e abraçar a oportunidade de realizar um intercâmbio. “Comentei com alguns professores e eles mencionaram que há um ano um outro aluno do Direito havia participado do programa e conseguido a bolsa e que foi muito boa a experiência para ele, profissionalmente e pessoalmente. Isso me motivou a querer participar também”, conta João.


O graduando afirma ter encontrado no curso grande apoio dos professores. “Eu tentei participar ano retrasado do processo seletivo, mas infelizmente não consegui a bolsa por não ter cumprido todos os requisitos do edital. Confesso que fiquei bastante desmotivado, mas as professoras Mara Piolla e Andréa Queiróz Fabri me entusiasmaram/motivaram para tentar de novo, e não é que deu certo? ”, continua o aluno.


Com participação como monitor de algumas disciplinas, iniciação científica e grupos de estudos, o estudante encontrou na Universidade ofertas que contribuíram para essa conquista. “Temos professores extremamente acessíveis, acima de qualquer coisa, nós temos acesso à direção do curso, conseguimos dialogar com os docentes e argumentar questões acadêmicas e isso foi algo que senti muita falta em Portugal”, comenta.


Em relação à experiência, João afirma que aprendeu ainda mais sobre a valorização do estudo. “Lá você encontra pessoas estudando em todos os lugares, era comum ver todos os dias, inclusive nos finais de semana, cafeterias completamente lotadas, sala de estudos sem lugar para estudar, etc. Vi o quanto eles valorizam a questão de estudar e se esforçar para ser um diferencial profissionalmente”, compartilha.


Com essa experiência na bagagem, o graduando afirma que quer voltar para o exterior outras vezes. “Penso que esse período foi um vislumbre que pude ter do quão grande é nosso mundo e quantas oportunidades nós temos fora do Brasil. Sem dúvida quero voltar para um mestrado, me especializar. Viver fora é uma oportunidade ímpar na vida de uma pessoa e quero poder desfrutar disso de novo”, finaliza.