Ação para coleta de sangue na Uniube registra mais de 50 doadores

02 de junho de 17
1 / 9
2 / 9
3 / 9
4 / 9
5 / 9
6 / 9
7 / 9
8 / 9
9 / 9

O Hemocentro de Uberaba esteve presente na Uniube para a coleta de bolsas de sangue e cadastro de medula óssea. A ação faz parte das atividades do projeto de extensão Amizade Compatível e resultou em mais de 50 bolsas de sangue coletadas e em mais de 30 novos cadastros no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME).


Para a doação foi preciso ter em mãos o documento com foto, ter se alimentado pelo menos três horas antes da doação e estar em bom estado de saúde. Ao chegar, o doador passou por um cadastro e, posteriormente, por uma triagem feita por um profissional da saúde. Com a aptidão concedida pela triagem, é medido o Hematócrito/Hemoglobina do doador e, com um bom nível apresentado, pode ser feita a doação que dura no máximo 10 minutos. Além da doação de sangue, o Hemocentro realizou, também, o cadastro para doação de medula óssea para aqueles que ainda não faziam parte do REDOME, neste cadastro é coletada uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais do doador.


E em 2017, a parceria entre o Hemocentro e a Universidade de Uberaba completa 10 anos. Esta colaboração é de grande importância de acordo com  Carlos Freitas, assistente administrativo responsável pela captação de cadastro no Hemocentro. Ele afirma que tais ações ajudam a manter os estoques em dia. “Hoje, por exemplo, estamos com a situação crítica, com frio, vem gripe e vacinas, assim o estoque cai bastante. Então, é muito importante nos termos parceiros, o hemocentro sozinho não consegue manter os estoques”, afirmou.


A estudante do curso de Medicina da Uniube e integrante do projeto Amizade Compatível, Priscila Barbosa Idaló, reforçou a relevância da ação para o incentivo acadêmico nas doações. “O objetivo é facilitar a doação de sangue, porque muitos estudantes alegam que não têm tempo, não sabem onde fica, não têm carro, enfim encontram algum tipo de empecilho para doar sangue. Então a nossa inciativa é trazer o hemocentro para cá e facilitar essa prática, essa doação”, destacou.


A coordenadora de Extensão da Uniube, Maria Theresa Cerávolo Laguna, considera que o trabalho do projeto tem sido bastante satisfatório e que está ajudando para uma conscientização cada vez maior dos alunos para a doação de sangue e cadastro de medula óssea. “Nós estamos formando profissionais comprometidos com a sociedade, conscientes da demanda de sangue para toda a região e o trabalho do projeto tem sido efetivo. O envolvimento dos alunos e das pessoas da Universidade, tem ajudado muito nesse processo”, pontuou a coordenadora.


A colaboradora da Universidade de Uberaba, Aline Gonçalves, já doou sangue três vezes e se alegra em poder ajudar o próximo mais uma vez. “É muito satisfatório ajudar alguém, nos engrandece e eu espero sempre poder ajudar”, finalizou.